Loja Virtual Sem categoria

Loja virtual vale a pena? Veja as vantagens e desvantagens

ilustração de uma lupa analisando uma loja virtual

Cada vez mais se ouve falar sobre as perspectivas que os comércios eletrônicos oferecem para quem procura alcançar independência financeira e de horários. Ao contrário das lojas tradicionais, as lojas virtuais têm apresentado um crescimento mesmo quando o cenário econômico do país não é animador.

Mas será que criar uma loja virtual vale a pena? Sem dúvidas, essa é uma alternativa absolutamente viável para quem procura criar um trabalho consistente e com muitas possibilidades de crescimento a curto ou médio prazo. Se você é uma destas pessoas, continue lendo! Aqui apresentaremos as vantagens e as desvantagens das lojas online.

Quais as vantagens e desvantagens de ter uma loja virtual?

Como qualquer outra modalidade de vendas, as lojas virtuais têm pontos positivos e negativos que devem ser ponderados na hora de optar pelo negócio. Tenha em mente que o comércio eletrônico tem uma estrutura bastante diferente do comércio tradicional, o que exige flexibilidade e adaptação por parte dos empreendedores que entrarem nesse mercado.

A melhor maneira de explicarmos se loja virtual vale a pena é apresentando os pontos altos e baixos da modalidade. Assim você conseguirá avaliar por conta própria e saber se esse tipo de vendas vai de encontro com o que você procura. Veja aqui as vantagens e desvantagens das lojas virtuais:  

Vantagens

Para quem está acostumado com os valores altos das lojas de rua e de shopping, a principal vantagem da loja virtual é o baixo custo de investimento. Esse tipo de comércio não precisa de ponto de venda físico nem de funcionários contratados, o que reduz drasticamente o valor investido. Pode-se dizer que uma boa plataforma de e-commerce já faz o papel de vendedora.

É claro que isso se reflete nos preços praticados pelas lojas online, cujos valores são consideravelmente menores. Além disso, o comércio eletrônico oferece conveniência aos consumidores, que podem comprar quando quiserem, e não somente no horário em que a loja está aberta. Os produtos chegam no endereço indicado em poucos dias, sem necessidade de deslocamento do cliente.

Desvantagens

Sem dúvidas, as vantagens de um comércio eletrônico são extensas e poderiam ser listadas por muito mais tempo. Porém, há também alguns pontos negativos que precisamos considerar. Talvez o principal deles seja a ausência de um vendedor que possa acompanhar o cliente durante o percurso da compra.

A boa notícia é que existe um jeito de compensar essa falta: usando uma plataforma eficiente, que seja intuitiva e que tenha os produtos bem apresentados, com fotografias boas e descrições completas. Isso também compensa a falta de contato físico que o consumidor tem com o produto, pois a partir desses mecanismos ele pode saber as dimensões, o tipo de tecido, etc. 

Qual o melhor tipo de loja virtual?

Agora que você já entendeu se criar uma loja virtual vale a pena, deve estar se perguntando sobre os tipos de loja. De fato, existem várias modalidades para a criação da sua loja online. Em algumas nem é necessário contar com uma plataforma de e-commerce, como é o caso do marketplace – o Mercado Livre é o principal exemplo desta modalidade. 

Em outras, é necessário ponderar e optar pelo tipo de código. Tudo isso depende do porte da loja virtual e do conhecimento prévio que o empreendedor tem de programação. Veja aqui os  quatro tipos mais comuns de loja virtual e escolha o que é melhor para você:

Marketplace

Essa modalidade funciona como um shopping center virtual, reunindo vendedores de diferentes nichos e segmentos num só lugar. Uma das principais vantagens do marketplace é a facilidade em aderir à plataforma, já que não é necessário criar uma loja virtual própria ou alugada.

Nesse tipo de vendas, todos os trâmites relacionados à plataforma são por conta do marketplace, cabendo ao empreendedor uma única função: vender. O próprio pagamento da encomenda também ocorre sob mediação do marketplace, o que simplifica a rotina do gestor. 

Código livre

As plataformas de código livre são desenvolvidas por comunidades abertas de programadores que deixam o código disponível para uso gratuito. Sem dúvidas, o preço é o grande diferencial desta modalidade, além da possibilidade de ter acesso a códigos que permitem a implementação de recursos elaborados.

No entanto, há uma grande desvantagem: para usar esses códigos é necessário ter conhecimento médio ou avançado de programação. Ou seja, no fim das contas, as plataformas de código livre são para poucos. 

Loja virtual própria

A loja virtual própria é criada a partir de um programador que faz toda a estrutura do e-commerce do zero. Desta maneira, o ambiente virtual segue todas as premissas impostas pelo empreendedor, podendo ser moldado ao gosto do freguês.

Para isso, deve-se contratar um profissional que entenda de programação, o que torna a modalidade cara. Em geral, apenas as grandes lojas virtuais contam com esse tipo de plataforma para seus comércios eletrônicos.

Loja virtual alugada

Por fim, a loja virtual alugada é a categoria preferida dos pequenos e médios empreendedores. A razão? Toda a estrutura já está criada, cabendo ao dono da loja virtual apenas a personalização desta, com alteração de layout e inclusão de produtos, preços e descrições. 

Muitas plataformas alugadas contam com automatizações que contribuem muito para o trabalho do gestor do e-commerce, como é o caso de ERPs para a emissão de notas fiscais e para a gestão do estoque. 

Loja virtual vale a pena?

Mas, afinal, ter uma loja virtual vale a pena? Podemos dizer que na maior parte dos casos, criar um e-commerce e vender pela internet é uma excelente ideia. No entanto, você deve estar disposto a trabalhar! A liberdade financeira e a flexibilidade de horários vêm acompanhadas de muitas funções essenciais para o negócio deslanchar. 

Além disso, precisamos ponderar que para o negócio digital valer a pena é fundamental criar uma loja inovadora e que seja diferente da concorrência. Caso o contrário, você estará investindo o seu dinheiro numa modalidade que não tem potencial para se destacar, o que é um grande erro. 

Entenda quando investir

A principal dica para quem quer criar um negócio de sucesso é: não invista por impulso. Para ter uma boa loja virtual, você precisa estudar e ir atrás de conhecimento sobre o seu produto, segmento e público-alvo. Por isso, recomenda-se que todo empreendedor faça um plano de negócios. Você já ouviu falar nisso?

Esse estudo dará insumos para que você compreenda os pontos fortes e fracos do seu negócio, podendo antecipar erros antes mesmo de ir para o mercado. Bom, né? Tudo isso poupará tempo e dinheiro, deixando-o mais perto do sucesso que tanto espera. 

Dicas para vender online

Como falamos, o mercado digital é próspero, mas deve ser explorado com cautela. Há muitos vendedores que entram sem planejar seus negócios e acabam sendo engolidos pela concorrência. Sim, a concorrência no mercado digital é grande e precisa ser estudada com profundidade. A seguir, veja as principais dicas para vender e crescer online:

Escolha um bom produto

A escolha de um bom produto é fundamental para qualquer empreendedor. No mercado digital, isso se faz ainda mais importante, uma vez que a loja concorre com empresas dos mais variados lugares do país. Sabendo disso, você deve optar por um segmento que ainda tenha espaço para novos empreendedores.

Além disso, deve vender itens de qualidade, com preço competitivo e com diferenciação em relação aos seus concorrentes. Assim, terá pontos positivos que atraiam e que cativam os clientes – aumentando as chances de fidelizá-los. 

Estude a concorrência

Estudar a concorrência significa analisar as lojas virtuais que atuam no mesmo mercado que você, observando os produtos, preços, meios de pagamento e formas de entrega disponíveis. Mas para que isso serve? Para compreender o que as marcas que competem com você estão fazendo.

A partir desta análise é possível encontrar insights para melhorar a sua atuação e para poder enfrentar melhor os seus concorrentes. Mas aqui fica a dica: a análise de concorrência não serve para imitar, ok? Serve para se inspirar e encontrar alternativas criativas para se destacar no mercado.

Aprenda com os erros 

Quem trabalha com vendas online vai acertar e errar. Isso faz parte do processo e é preciso enfrentar os erros de cabeça erguida e, mais do que isso, aprender com eles. Mas como fazer isso? Um bom exemplo é acompanhar as métricas de campanhas e de promoções.

Analisar os números de uma campanha cujo resultado não foi positivo ajuda a perceber o comportamento dos clientes e a diagnosticar falhas que não devem ser repetidas. Por isso, não deixe de lado os insights de campanhas que deram errado – eles são tão valiosos quanto os insights de campanhas que deram certo.

Deu para ver que loja virtual vale a pena, não é mesmo? Principalmente se for criada com muito estudo e planejamento, pois desta maneira você estará pronto para enfrentar as adversidades do mercado. Agora que você já sabe tudo sobre o tema, sugerimos que leia sobre a montagem do estoque para e-commerce. Sem dúvidas, esse tema tem muito a agregar ao seu negócio!

Você pode gostar também

Nenhum comentário

Deixe uma resposta