Loja Virtual

Criar loja virtual com domínio próprio: passo a passo simples

Ilustração de dominio e servidor

O comércio eletrônico é um dos poucos setores que segue apresentando perspectiva de crescimento mesmo em cenários de crise. A razão disso é simples: essa modalidade de vendas apresenta preços competitivos e consideravelmente menores do que os praticados pelas lojas de rua.

Além disso, também oferece a conveniência de o consumidor comprar no momento em que for melhor, inclusive finais de semana e madrugada. Tudo isso sem sair de casa, com o conforto de receber a encomenda no seu endereço. Essas razões atraem cada vez mais investidores no setor do e-commerce.

Se você quer vender um produto online e usufruir da possibilidade de crescimento que esse canal oferece, continue lendo esse texto! A seguir, falaremos tudo o que você precisa saber para criar loja virtual com domínio próprio e crescer na internet. Boa leitura e boas vendas!

Quais são as vantagens de ter uma loja virtual com domínio próprio?

Muito se fala sobre a importância de criar loja virtual com domínio próprio, mas você sabe quais são as vantagens desta modalidade? Antes de mais nada, é necessário esclarecer a função que o domínio tem numa loja virtual. Pois bem, o domínio nada mais é do que o endereço que você digita na barra de endereços na hora de visitar um site.

É bem verdade que poucas pessoas chegam até um e-commerce digitando esse endereço, mas ele também é usado nos buscadores de conteúdo, quando os usuários procuram por palavras-chave. O domínio do site é um dos fatores que influenciam no ranqueamento na pesquisa do Google, por exemplo.

Isso já é razão suficiente para ir em busca de um domínio seguro, que tenha uma extensão conhecida (como .com ou .com.br) e que conte com palavras-chaves assertivas para o nicho e segmento. E já que o domínio é o endereço virtual da sua loja, ele precisa ter o nome exato do seu negócio, não é mesmo?

Muitas pessoas querem economizar e acabam indo em busca de domínios gratuitos que têm extensões suspeitas e que não permitem usar o nome do negócio. Tudo isso representa uma perda para o empreendedor, que tem a sua imagem prejudicada, assim como deixa de ser indicado entre os primeiros lugares pelo algoritmo do Google. 

Qual a melhor plataforma para criar uma loja virtual?

Agora que já falamos um pouco sobre o domínio, vamos falar sobre a plataforma para criar loja virtual? Grande parte dos empreendedores não dá a atenção suficiente para este tema e acaba optando por plataformas gratuitas baratas, que oferecem poucos recursos. Qual é o problema disso.

Em um primeiro momento, os recursos escassos são suficientes para o negócio, mas a médio prazo, com o crescimento da empresa, tornam-se insuficientes, obrigando esses empreendedores a migrarem para outras plataformas. Por isso, o ideal é já começar a vender em uma plataforma de qualidade e com bom custo-benefício.

Esse é o caso da Simplo 7, que permite criar loja virtual com domínio próprio eficiente desde o início da operação. A plataforma conta com três planos: até 50 produtos, até 300 produtos e produtos ilimitados, permitindo que o empreendedor faça upgrade assim que sentir a necessidade de incluir mais produtos.

E aqui vai uma informação importante: qualquer um dos planos conta com os mesmos recursos, como integração com ERPs, recuperação de carrinho, chat, newsletter, variadas formas de pagamento e muitos meios de entrega. Tudo isso torna o trabalho do gestor mais ágil e eficiente, possibilitando, por exemplo, a emissão de notas fiscais automáticas e a gestão de estoque de maneira segura e assertiva. 

Além disso, a Simplo 7 permite a personalização do layout do e-commerce, deixando com a mesma identidade visual dos demais canais de marca, como Facebook, Instagram e até mesmo embalagens e cartões de visita. Tudo isso contribui para a criação de uma marca forte, com muita possibilidade de crescer e de se consolidar no mercado digital.

Veja aqui os principais recursos da Simplo 7:

  • Configuração do layout
  • Integração com automatizações como Bling, Tiny e Google Analytics
  • Recuperação de carrinho
  • Chat online
  • Newsletter 
  • Pop-up de saída
  • Pesquisa de satisfação
  • Cupom de desconto
  • Relatórios
  • Formas de entregas variadas (Correios, transportadora, retirar na loja, frete personalizado, etc.)
  • Múltiplos meios de pagamento (PayPal, PagSeguro, BCash, Wirecard, boleto bancário, depósito, etc.)

Como escolher um domínio para a loja virtual?

Como você pode ver, a escolha do domínio para o comércio eletrônico é uma tarefa que exige planejamento. Na verdade, trata-se de um processo simples, mas que não deve ser feito com pressa, naquele momento em que o empreendedor já está pronto para colocar o negócio no ar. Se fizer assim, correrá o risco de tomar decisões erradas, que podem prejudicar a marca.

Por isso, recomenda-se reservar um tempo para a pesquisa do domínio ainda durante o planejamento do e-commerce. Esse também é o momento ideal para ir atrás da plataforma da loja virtual, comparando os preços com os recursos disponíveis. Veja aqui 4 dicas para seguir na hora de escolher o domínio para a sua loja virtual:

Pesquise a disponibilidade do domínio

Quando você registra o domínio para o seu comércio eletrônico, garante que este será o endereço digital da sua loja virtual. Isso já é razão suficiente para que essa escolha seja feita com estratégia, não é mesmo? O primeiro passo para isso é verificar se o domínio desejado está disponível. 

Mas como saber qual é o domínio desejado? Existem algumas sugestões que tornam essa escolha mais fácil. O ideal é que o domínio não seja grande demais, o que dificulta a digitação e o entendimento das palavras que o compõe. Em geral, recomenda-se que a escolha das palavras seja a mesma que compõe o nome da marca.

Além disso, nada de usar caracteres especiais, números, palavras difíceis de escrever ou termos em outros idiomas, ok? O seu objetivo é simplificar o acesso dos usuários à sua loja virtual. E vale lembrar que tudo isso interfere no ranqueamento da sua loja no Google. 

Veja aqui algumas sugestões para levar em consideração na hora de pensar no nome do domínio para sua loja virtual:

  • Deve ser fácil de lembrar
  • Deve ser fácil de digitar
  • Deve ser fácil de ser pronunciado
  • Deve ser otimizado para mecanismos de pesquisas
  • Deve conter palavra-chave 
  • Deve sintetizar a essência da marca 
  • Deve ter caracteres simples (sem números e símbolos)

Opte por um domínio nacional

Faça um exercício rápido: procure no Google pelas suas lojas virtuais preferidas e veja como é o endereço delas. É grande? Pequeno? Tem o mesmo nome da loja? Além disso, você verá que a maior parte usa um domínio nacional, geralmente o .com.br. Essa extensão é a principal do Brasil e é recomendada para quem vai vender por aqui. 

Quem pretende comercializar simultaneamente para dentro e para fora do país pode optar por outro domínio bem forte, o .com. Muitas pessoas deixam de escolher por essas extensões porque são mais caras do que outras menos famosas. No entanto, elas contribuem para a reputação do negócio, o que justifica o investimento. 

Aqui vai uma dica importante: caso você vá vender para o exterior, veja se o nome da loja está adequado para esse mercado. Existem termos em português que podem soar mal quando lidos por estrangeiros e vice-versa. Atenção em dobro se seu foco for a exportação! Justamente por isso, algumas marcas optam por ter dois sites: um nacional e outro internacional.

Escolha um servidor para hospedagem

Vamos falar sobre o servidor? Ele é o responsável por armazenar o seu site e torná-lo disponível para o acesso dos usuários. É uma tarefa e tanto! Existem muitas modalidades de planos de servidores, mas a escolha requer um pouquinho de estudo, já que o servidor está diretamente relacionado com a estabilidade do site. 

Uma das modalidades de hospedagem é a compartilhada, na qual um único servidor consegue comportar muitos sites. Ela é indicada para comércios eletrônicos pequenos, com baixo fluxo de usuários. Sem dúvidas, o desempenho desse tipo de hospedagem é inferior ao da hospedagem dedicada.

O servidor de hospedagem dedicada, por sua vez, armazena apenas o seu comércio eletrônico. É claro que o preço disso é mais alto, mas há ganho com segurança de informações e com estabilidade, especialmente para sites que têm um volume considerável de acessos. Sem dúvidas, os grandes e-commerces do mercado usam essa hospedagem.

Selecione uma plataforma confiável

Confiança é o segredo para praticamente todas as escolhas que você fará durante o planejamento da sua loja virtual. E, como você pode imaginar, a plataforma também precisa ser confiável. Isso envolve uma série de fatores, a começar pela segurança de dados que oferece para que as transações sejam bem sucedidas.

Mas, além disso, uma plataforma confiável entrega aquilo que promete e conta com um sistema eficiente de suporte técnico para situações de instabilidade. Por isso, o ideal é buscar por recomendações de pessoas que trabalham com vendas online, afinal, o sucesso do negócio depende muito da escolha da plataforma! 

Antes de escolher por uma determinada plataforma de e-commerce, converse com outras pessoas do setor e veja as percepções delas sobre os serviços oferecidos. Além disso, leve em consideração os recursos de cada plataforma: eles são cruciais para a gestão eficiente de sua empresa. 

Como criar loja virtual com domínio próprio?

Deu para ver que a criação da loja virtual é um assunto extenso, não é mesmo? Sabendo disso, nunca deixe para escolher a plataforma e o domínio em pouco tempo. Essa decisão deve ser tomada com calma, tendo como base alguns critérios importantes para o negócio, como nome, recursos necessários e assim por diante.

Mas como é possível criar uma loja virtual e começar a vender? Se você está entrando no mercado agora, saiba que o segredo é pesquisar e buscar por alternativas que deem confiança. O conhecimento é a base para fazer boas escolhas que vão se refletir no crescimento da marca. A seguir, veja o que fazer para criar seu e-commerce com domínio próprio.

1. Escolha a plataforma

Como você pode imaginar, a escolha da plataforma é a primeira decisão que deve ser tomada na hora de criar o e-commerce. Já falamos sobre a Simplo 7 e o seu custo-benefício que, sem dúvidas, oferece vantagens para empreendedores com negócios de todos os portes.

Na hora de escolher pela plataforma, analise com calma e cautela todos os recursos que as empresas oferecem. Muitas têm preços baixos justamente porque contam com recursos limitados, que fazem falta no dia a dia da gestão de negócios. Falando nisso, dedique-se a pesquisar sobre ERPs e sistemas de automatização.

Eles são grandes aliados do seu negócio, já que permitem a gestão do e-commerce de forma otimizada, com atualização automática dos dados, controle rápido e informações assertivas. Tudo isso se reflete na qualidade do serviço que o e-commerce oferece e, é claro, na satisfação do consumidor.

2. Garanta a disponibilidade do domínio

Depois de ter definido a plataforma, será a hora de verificar a disponibilidade do domínio. Como você pode imaginar, essa etapa também exige estratégia, afinal, você terá que optar pelo endereço que a sua loja terá na internet e que será indicado pelos buscadores de conteúdo para apresentar seu e-commerce nas buscas.

Em geral, as empresas escolhem domínios com o mesmo nome das suas marcas. Quando eles não estão disponíveis, acrescentam ou suprimem alguma palavra, cuidando para nunca dificultar o entendimento dos usuários sobre as palavras que compõem o domínio. 

Essa também é a hora de optar pela extensão. Será .com, .com.br ou uma terceira opção? Cuide para não tomar nenhuma decisão por impulso, considerando apenas o preço final, pois depois você pode se arrepender. 

3. Realize o registro do domínio

Finalmente será a hora de registrar o domínio. Mas o que isso significa? Significa que depois de encontrar o domínio disponível, com o nome e a extensão que você quer, você terá que fazer a contratação dele. Esse é um procedimento simples e que não deve demandar muito tempo.

Em resumo, você deve escolher uma empresa de confiança para fazer esse registro e efetuar o pagamento. Em geral, a compra do domínio tem duração de um ano, podendo ser prorrogada conforme a sua vontade. Se deixar de pagar ou não renovar, perderá o endereço, que ficará disponível para outro interessado.

Aqui fica uma dica: depois de escolher e comprar um domínio, não troque por outro. Conforme for crescendo nas vendas online, seu domínio vai ter autoridade e terá mais chances de aparecer nas pesquisas de buscadores como o Google. Por isso, escolha com cautela e, depois disso, siga em frente.

4. Encontre uma plataforma que ofereça domínio personalizado

Algumas plataformas gratuitas parecem vantajosas para os empreendedores iniciantes, pois já oferecem o domínio sem custo. Porém, na prática não são tão boas assim, pois têm extensões próprias que não demonstram profissionalismo e nem dão a possibilidade de personalização para o domínio.

Por isso, a melhor maneira de criar um bom domínio é encontrar plataformas que permitam a personalização destes, como é o caso da Simplo 7. Nela, você pode optar pelo domínio e pela extensão que preferir, podendo fazer a configuração do seu e-commerce a partir desta escolha. 

Sem dúvidas, os recursos da Simplo 7 contribuem diretamente para a criação de uma loja virtual única, com características que vão de encontro com o propósito do negócio e que dialogam com o público-alvo e com o segmento de mercado que a loja se propõe a atender. Tudo isso dá autoridade para a marca, colaborando para a sua consolidação. 

Custos para aquisição do domínio

Chegou a hora de falarmos sobre um tema muito importante para os empreendedores. É claro que o custo do domínio importa, até mesmo porque será um gasto recorrente, que deverá entrar na lista das despesas anuais da empresa. Como você já deve imaginar, esse custo varia conforme uma série de fatores, que explicaremos a seguir.

Você concorda que a credibilidade de um domínio .com.br é superior a de um domínio com outra terminação qualquer, não é mesmo? Então é claro que esse domínio custará mais caro! Isso deve ser visto como um investimento, pois o empreendedor estará ganhando credibilidade, que é uma moeda muito importante para o mundo virtual.

Além disso, a compra também depende da reputação da empresa que você escolher para pesquisar o domínio. Empresas consolidadas e sérias terão um preço diferente daquelas cuja competência seja duvidosa – e a razão disso é completamente compreensível.

Em síntese, um domínio para e-commerce costuma custar entre 1 dólar até 15 dólares anuais, o que são valores absolutamente possíveis de serem pagos por um e-commerce. É claro que determinadas características podem deixar essa escolha mais cara, por isso é difícil estimar um valor máximo para esse tipo de serviço.

Agora que você já sabe tudo sobre criar loja virtual com domínio próprio, sugerimos que leia sobre o cadastro de produtos no e-commerce. Por incrível que pareça, algumas estratégias simples podem contribuir para o aumento da visualização e do interesse dos usuários pela sua loja virtual. Boa leitura! 

Você pode gostar também

Nenhum comentário

Deixe uma resposta