E-commerce Loja Virtual

Como montar loja virtual em 9 passos e começar a vender

Ilustração de indicadores loja virtual

Você sabia que o mercado virtual é um dos setores mais prósperos da economia brasileira? Os números do comércio eletrônico vão na contramão dos dados do comércio tradicional, o que faz das vendas online uma excelente oportunidade para quem quer se reinventar e criar um negócio consistente. 

Sabendo disso, muitos empreendedores optam por criar um loja virtual e por começar a vender online. Essa é uma boa decisão, sobretudo quando feita com planejamento e estratégia. Pensando nisso, a seguir vamos explicar como montar loja virtual 9 passos simples e para que você possa vender online de forma rápida e organizada. Confira!

O que é preciso para montar uma loja virtual?

Se você quer entender como montar loja virtual, deve primeiro fazer um checklist com tudo o que é necessário para criar um negócio online. Sim, o mercado digital é excelente, o que não quer dizer que qualquer negócio vai dar certo e vender muito. Para crescer online é fundamental criar uma empresa estruturada.

Mas como fazer isso? O primeiro passo para quem quer empreender online é fazer um plano de negócios. A partir desse estudo é possível planejar todas as etapas da empresa, aprofundando-se também no produto que será oferecido, no segmento em que o negócio vai se encontrar e no público-alvo que vai atender. Em resumo, uma loja virtual precisa:

  • Ter um posicionamento de mercado consistente
  • Encontrar um segmento que não esteja saturado
  • Desenvolver um produto de qualidade e com preço justo
  • Conhecer profundamente o seu público-alvo

Qual o custo para abrir uma loja virtual?

Essa é a dúvida que todo empreendedor iniciante tem! Vale saber que o mercado digital tem custos de entrada menores do que o mercado tradicional, já que não é necessário investir em ponto de venda físico e nem na contratação de vendedores. A plataforma é que faz esse papel, por isso deve ser escolhida com tanto cuidado.

Mas qual é o preço de uma boa plataforma de e-commerce? Vamos usar como exemplo a Simplo 7, cujo custo-benefício é animador. A plataforma tem planos entre R$ 48,75 e R$ 197,50 ao mês, dependendo da quantidade de produtos cadastrados. Em todos eles, o empreendedor já conta com todos os recursos, o que simplifica a gestão do negócio.

Veja aqui outros custos que devem ser levados em consideração na hora de planejar um e-commerce:

  • Estoque inicial de produtos
  • Embalagens
  • Campanhas de marketing
  • Registro do domínio próprio
  • Plano de internet rápida

 

Aprenda como montar loja virtual em 9 passos

Sem dúvidas, a escolha da plataforma contribui diretamente para a qualidade do negócio. Por isso, o ideal é dar atenção a essa etapa, seja pesquisando por uma plataforma eficiente, seja configurando a loja virtual com a calma e a atenção que ela merece. Afinal, é lá que os clientes vão conhecer o seu negócio e se motivar a comprar.

Quanto mais eficiente for o e-commerce da sua loja, melhor será a experiência de consumo dos usuários. Justamente por isso recomendamos que você entenda sobre a jornada do consumidor, ou seja, sobre todo o caminho que ele percorre até decidir comprar. A seguir apresentaremos 9 passos simples sobre como montar loja virtual. Veja aqui:

1. Faça o registro do seu domínio

Você sabe o que é o domínio de um site? É o endereço que o usuário digita lá na barra de endereços. Embora existam muitos domínios gratuitos na internet, nossa recomendação é que você contrate um domínio pago que seja profissional – ou seja, que tenha a extensão “.com” ou “.com.br”. 

Além disso, procure por um domínio que tenha o nome exato da sua marca, o que reforça a sua identidade digital. Vale lembrar que o algoritmo do Google leva em consideração o domínio para fazer o ranqueamento do site nas buscas dos usuários – por isso, escolher um domínio profissional é investimento e não custo, ok?

2. Escolha um servidor de qualidade

Você sabe qual é o papel de um servidor para o e-commerce? É lá que ficam guardadas todas as páginas da loja virtual, inclusive os dados dos consumidores. Quanto melhor for o servidor que você escolher, mais acessos simultâneos o seu e-commerce poderá ter – e isso é tudo o que você mais quer, né?

Um bom servidor faz muito mais do que somente deixar uma loja virtual online. Ele permite que a navegação seja ágil, carregando as imagens com rapidez e permitindo uma jornada de compra de qualidade aos consumidores. E assim como a escolha do domínio, o servidor também influencia no ranqueamento do Google. 

3. Estruture a plataforma da loja virtual

A escolha da plataforma do e-commerce é essencial para a boa gestão da loja. Quanto mais recursos disponíveis ela tiver, mais ágil é a rotina do empreendedor que está por trás do negócio. Por isso, vale procurar por plataformas com sistemas de automatização e de ERPs que auxiliam em tarefas como gestão de estoque e emissão de notas fiscais.

As plataformas alugadas, que é o caso da Simplo 7, já têm toda a estrutura pronta, cabendo ao empreendedor configurar da maneira como quiser para deixar o e-commerce com a cara da sua marca. Sem dúvidas, essa é a solução mais simples e prática para quem quer começar a vender online. 

4. Escolha um template adequado

Como falamos, as plataformas alugadas são uma boa escolha para criar um negócio digital. Elas já dispõem de todos os recursos necessários para vender, cabendo ao empreendedor configurar conforme as suas necessidades. E dentro disso também está a escolha de um template adequado.

O layout do site comunica aos visitantes o seu propósito, por isso deve ser pensado com atenção. Uma loja de produtos automobilísticos poderá usar cores muito mais fortes do que uma marca de roupas para bebês, por exemplo. Vale lembrar que essa identidade visual deve ser estendida aos outros canais da marca, como redes sociais.

5. Defina as formas de pagamento

Conhecer o seu segmento e público-alvo permite compreender as formas preferidas de pagamento deste grupo. Mas, além disso, tenha em mente que quanto mais modalidades de pagamento você oferecer em seu negócio, mais chances terá de vender. Isso porque cada pessoa tem a sua preferência quando o assunto é dinheiro.

Se você observar, há quem prefira fazer uma encomenda de qualquer valor parcelada no máximo de vezes sem juros no cartão de crédito, enquanto também há quem queira pagar no boleto e já se livrar da conta. Mas aqui entra um ponto essencial: o pagamento deve ser executado com máximo de segurança possível, viu?

6. Faça um planejamento logístico

A logística de uma loja virtual é fundamental para o crescimento do negócio e tem um papel muito importante na satisfação dos clientes. Afinal, é ela que garante que o produto chegará no endereço do consumidor no prazo certo e, mais do que isso, em boas condições. Muitos empreendedores ficam na dúvida entre contratar transportadora ou Correios.

E aqui não existe uma resposta certa. A decisão depende do tipo de negócio, das características do produto e da distância geográfica entre os dois endereços. Para além dessas modalidades também existem outras que contemplam as entregas locais, como é o caso do motoboy, da entrega por bicicleta e da retirada no ponto de venda do e-commerce.

7. Cadastre os primeiros produtos

As melhores plataformas para lojas virtuais do mercado oferecem um sistema de cadastro de produtos muito simples. E isso conta muitos pontos para a rotina do vendedor, pois ele terá que incluir novos produtos e atualizá-los com frequência. Por isso, tenha em mente essa facilidade na hora de procurar por uma boa plataforma para seu negócio.

O cadastro dos produtos é uma etapa rápida, mas que influencia muito no desempenho da loja virtual. Como assim? Algumas palavras-chaves usadas nesse processo ajudam o site a aparecer nos buscadores de conteúdo. Além disso, quanto mais completas forem as descrições, mais fácil será para o cliente conhecer e comprar o produto.

8. Faça a divulgação da loja virtual

Toda loja virtual precisa investir em comunicação e marketing. Essa afirmação até pode parecer exagerada, mas não é. Diferente de uma loja física, que pode abrir suas portas e esperar os clientes entrarem, a loja virtual precisa ir atrás desses consumidores. E a melhor forma de fazer isso é com campanhas em redes sociais e em buscadores, como o Google.

Sem esse investimento, ninguém entrará no seu e-commerce. Por isso, pesquise sobre os tipos de divulgação mais usados no mercado virtual e faça uma estratégia de marketing, ou seja, entenda como conciliar todas essas campanhas de forma que dialoguem entre si e que fortaleçam a sua marca. 

9. Realize a primeira venda na loja virtual

Depois de ter feito todos os passos acima, será a hora de fazer a primeira venda na loja virtual. Mas calma lá: você não precisará fazer nada, pois quem vai registrar tudo de maneira automática é a plataforma do seu e-commerce. Após a confirmação da compra é que entra o seu trabalho!

Será o momento de embalar a encomenda e de enviá-la ao endereço do cliente. Nesta etapa, convém ter toda atenção para enviar o produto correto (tamanho, cor, modelo) e vale escrever um bilhete simpático ao consumidor agradecendo pela confiança. Esse gesto pode ser mantido com o tempo, mesmo depois de a sua empresa crescer. 

Documentos necessários para abrir uma loja virtual

Uma das dúvidas mais frequentes de quem vai criar um comércio eletrônico é se precisa abrir uma empresa. A resposta é sim, você deve ter um CNPJ para fazer vendas online. Embora inicialmente isso pareça uma barreira, na prática é uma decisão simples, já que é possível vender online sendo Microempreendedor Individual (MEI). 

Mas qual é a diferença do MEI para o Simples Nacional? O que muda entre as duas modalidades é o faturamento anual, que no MEI pode ser de até R$ 81 mil, o que dá, em média, R$ 6.750 ao mês. Se o empreendedor superar esse valor anual terá que mudar a categoria da sua empresa para o regime do Simples Nacional.

Veja aqui as vantagen do MEI para os empreendedores digitais:

  • Ter um CNPJ 
  • Emitir notas fiscais
  • Pagamento tributário reduzido
  • Direitos previdenciários garantidos 
  • Comprar produtos a preço de atacado

Plataforma para montar loja virtual em minutos

Como você pode ver, é fundamental estudar e se qualificar para criar uma loja virtual. Como todos os outros setores, esse também exige estudo, o que reduz o risco de o empreendedor digital tomar decisões precipitadas. Agora que você já entendeu como montar loja virtual, vamos falar um pouco sobre a escolha da plataforma do e-commerce?
Muitos vendedores iniciantes optam por plataformas gratuitas justamente para que esse custo fixo mensal não impacte no orçamento do negócio, que no início costuma ser bem reduzido. No entanto, assim que a empresa cresce, se deparam com a limitação de recursos dessas plataformas e se veem obrigados e migrar para sistemas mais completos.

Qual é o problema disso? Todo, pois colocam os produtos cadastrados e as transações em risco, além de deixarem a loja fora do ar por algumas horas ou dias – o que é ruim para as vendas e para o ranqueamento do Google. Por essa razão, o ideal é escolher desde o início uma plataforma completa e com bom custo-benefício, como é o caso da Simplo 7

Ela tem todos os recursos necessários para lojas virtuais de diferentes portes, como personalização do layout, ferramentas de marketing, integração com ferramentas de automatização, múltiplos meios de pagamento e variadas formas de entrega. 

Com isso, você poderá configurar a sua loja conforme for mais conveniente para você. Sem dúvidas, essa escolha permite a criação de uma loja virtual otimizada, com todas as condições para que os clientes tenham uma boa experiência, o que aumenta as chances de fidelização. 

E o gestor do e-commerce também ganha, pois conta com automatizações que deixam seu trabalho mais rápido e assertivo. Quer saber mais sobre a Simplo 7? Veja aqui as dúvidas frequentes sobre a plataforma e encante-se!

Você pode gostar também

Nenhum comentário

Deixe uma resposta